Geração de Valor: Como Empreender do Zero como Flávio Augusto

geração de valor

Como Empreender do Zero como Flávio Augusto

Flávio Augusto era, assim como a maioria dos brasileiros, um trabalhador e estudante do subúrbio carioca que pegava transporte público lotado por horas para trabalhar em um emprego de 9 às 17. Entretanto, não deixou sua realidade determinar quem ele seria construindo uma das maiores escolas de idiomas do Brasil: a Wise-up; até a venda por cerca de R$ 1 bilhão de reais em 2013. Depois, comprou um time/franquia da MLS (Major League Soccer): o Orlando City, por US$ 120 milhões que atualmente possui valuation de aproximadamente US$ 600 milhões.

Além desses projetos ele criou o Geração de Valor que visa inspirar e engajar brasileiros para seguirem o empreendedorismo como carreira.

Mas o que ele pode ensinar para os empreendedores de primeira viagem?

5 Aprendizados para empreender do zero

1. Empreender é trabalhar mais e não menos

Muitas vezes a mídia vende a imagem do empresário como alguém que trabalha pouco porque obtém autonomia da sua rotina. Mas na prática, o empreendedor se vê trabalhando na maioria das vezes bem mais do que em um trabalho “comum” de 40 horas semanais, principalmente nos estágios iniciais da empresa. 

Por isso, é tão importante ter um propósito pelo qual se está empreendendo, visto que se for somente pelo dinheiro na primeira grande dificuldade a vontade de desistir será maior do que a de permanecer. A série de livros Geração de Valor do Flávio bate nessa tecla várias vezes. 

2. Surfar uma onda é mais fácil do que criar uma

Empreender não significa criar um negócio totalmente disruptivo e tecnológico, é simplesmente identificar uma necessidade de mercado e suprir através de um produto ou serviço. Principalmente no Brasil que temos uma falta de produtos e serviços de qualidade e excelente atendimento ao consumidor, existem diversas oportunidades em mercados já consolidados ou em crescimento, nesse sentido ter visão é essencial para identificar essas oportunidades. A Reserva, Chilli Beans e a própria a Wise-up são empresas que começaram surfando uma onda e não criando uma. 

3. Faça um Plano de Negócios

O Business Plan tem como objetivo planejar como vai ser a execução do negócio, mas principalmente romper com a visão idealizada dele. A função do planejamento é simular a realidade para que a empresa tenha uma direção a ser seguida.

Algumas perguntas a serem feitas nesse plano são: 

  • Existe mercado? 
  • Qual meu cliente?
  • Quais são meus custos? 
  • Quanto é necessário de investimento inicial? 
  • Quanto que meu produto ou serviço vai custar? 
  • Qual vai ser minha estratégia de vendas? 
  • É preciso ter processos?
  • Em quanto tempo posso esperar um break-even?

Eu sei que essas várias perguntas podem ser assustadoras, uma dica para organizar seu planejamento é o CANVAS (ferramenta de fácil compreensão e execução que permite a formação de um business plan de maneira simplificada).

Vale lembrar que “nenhum plano sobrevive ao campo de batalha” então sempre faça as alterações necessárias de acordo o contexto. 

Quer empreender do zero e não sabe como realizar seu Plano de Negócios, a Pacto Consultoria pode te ajudar.

4- Ideias são somente ideias

Por mais confusa que essa frase seja ela é muito assertiva, todos os dias várias pessoas no mundo tem várias ideias para negócios promissores, mas a grande minoria executa, ou seja, não supre a necessidade de mercado citada no segundo tópico. Facebook, Uber e Google não se tornaram gigantes por suas ideias, mas sim por sua execução. Quer saber se seu produto ou serviço tem mercado? Faça um MVP (mínimo produto viável) e teste o consumidor, analise o que ele consome e trace ajustes necessários. Ajuste seu Plano de Negócios de acordo como as conclusões tiradas com MVP e execute a operação. 

5- Invista em Pessoas e Vendas

Essas são as áreas chaves da maioria das organizações, isso porque a venda é uma atividade fundamental de qualquer empresa, ela é a maior geradora de receita permitindo a instituição re-investir e evoluir. No início de qualquer negócio é essencial que o empreendedor passe a  maior parte do tempo focado em melhorar seu produto e descobrir qual é a melhor forma de vendê-lo, além disso, invista em um bom time de vendas. 

Pessoas são o coração de qualquer empresa, pode-se ter o melhor produto e a melhor estratégia de vendas, mas se quem executa as atividades essenciais para que empresa possa operar não são valorizadas, engajadas e recompensadas o prazo de validade da empresa é curto. 

Provavelmente a primeira pessoa da empresa junto a você será seu sócio. Uma dica seria ter como sócio alguém que possui uma habilidade complementar a sua, por exemplo, seu perfil é voltado para o vendedor de ideias e comunicativo; tenha alguém ao seu lado mais analítico e “pé no chão”. 

Se as vendas são importantes para fazer o negócio decolar, pessoas e cultura são fundamentais para manter o motor rodando por muito tempo. 

Se deseja receber uma “mentoria” de graça do Flávio augusto recomendo o nerdcast empreendedor e o App do Geração de valor