3 Fatores Que Apontam a Concorrência Desleal

concorrência desleal

3 Fatos Que Caracterizam a Concorrência Desleal

A concorrência no mundo dos negócios

A cada dia que passa as empresas precisam se destacar mais de seus concorrentes e, por isso, o mercado se torna mais competitivo e agressivo.

Essa concorrência, normalmente, é vista como algo natural e saudável, na medida em que as empresas se desenvolvem mais ao tentar superar seus rivais. Em diversos casos, quando bem praticada resulta em benefícios para o consumidor com os preços baixos. No entanto, quando praticada de má-fé, a concorrência é configurada como desleal.

A concorrência desleal é caracterizada pela prática ilícita de mercado, feita com processos desonestos que violam os preceitos da boa fé ao utilizar de técnicas ilegais e abusivas para angariar clientela, gerando prejuízo aos seus concorrentes.

Apesar de não ser raro se deparar com situações de desonestidade vinda de alguns empresários, ainda pode ser difícil compreender a violação das técnicas, uma vez que a concorrência desleal apresenta a mesma finalidade da concorrência: captar novos clientes.

Para ajudar nessa diferenciação, é importante conhecer os diferentes casos de deslealdade.

Principais tipos de concorrência desleal

Difamação

Muitas empresas criam e compartilham notícias falsas com o intuito de denegrir a imagem de seu concorrente, depreciando produtos, bens ou serviços. Atualmente, os avanços tecnológicos e o constante acesso às redes sociais pela população facilitam a difamação, na medida em que se torna mais fácil e rápido o compartilhamento de notícias.

Aproveitamento Parasitário

É uma concorrência desleal menos agressiva, mas ainda sim perigosa. Nessa prática, o parasita (concorrente desleal) não gasta com pesquisas e desenvolvimento de novos produtos. Ele aguarda o lançamento das marcas e, quando observa um produto com potencial, copia e lança um produto muito similar com um preço mais baixo que, mesmo com a qualidade inferior, muitas vezes ganha os clientes da empresa que lançou.

Confusão entre marcas, produtos ou estabelecimentos

Sendo a prática mais comum, cria uma semelhança ortográfica, fonética e/ou visual com empresas já conhecidas e que tenham certo status de credibilidade. A confusão intencional tem o principal objetivo de induzir o cliente ao erro quando o mesmo pensa que está usufruindo algo da empresa original.

Vale ressaltar que para se configurar de fato uma atividade fraudulenta, é necessário que os concorrentes estejam no mesmo mercado, ao mesmo tempo. Além de no mesmo ramo de atividade e que exerçam tais atividades no mesmo espaço geográfico.

A concorrência desleal apresenta um grande risco ao consumidor e ao mercado, por isso, é importante que as empresas se protejam. Para isso, é válido fazer um registro de sua marca e realizar um monitoramento constante do seu uso.

Caso sua empresa seja afetada com uma concorrência desleal, é indicado procurar na justiça as medidas cabíveis para resolver a situação de maneira mais efetiva.

Quer saber como se melhorar seus resultados e se manter a frente dos concorrentes de forma íntegra? Entre em contato e agende sua reunião de gratuita!