Gamificação: A Metodologia Que Inspira Liderados

Como utilizar a Gamificação em sua empresa

As empresas, em geral, sofrem bastante com um problema que fazem com que seus objetivos sejam mais difíceis de serem alcançados, problema esse que é a falta de engajamento. Para mudar essa situação disfuncional as empresas lutam para envolver todos aqueles que têm participação em seu processo se tornarem bem sucedidos, como clientes, funcionários, pacientes, alunos…

gamificação
A gamificação surgiu então como uma solução para esse problema, criando e ajudando a manter o engajamento dentro dos grupos.


Utilizando elementos e designers de jogos, os atributos utilizados pela gamificação serão mais explicado abaixo.

  • Elementos de jogos, são tudo aquilo que mexe com o “ego” do jogador na partida, fazendo com que ele queira continuar a jogar, posso te dar como exemplo para entender melhor, os pontos e distintivos, eles fazem com que os jogadores se sintam motivados, pois traz o sentimento de realização e desenvolvimento, pois quanto mais pontos e maior o distintivos, significa que o  jogador está melhorando, evoluindo.
  • Design de jogos, é a jornada, a experiência que o jogador vai ter dentro do jogo, algo que o prenda, que junto com os elementos do jogo torne a experiência mais atrativa aos olhos do jogador, exemplos como fases e vídeos de interação com os jogadores. 

Dessa forma, a gamificação vai além de aumentar a motivação e engajamento ao executar certas atividades dentro de empresa, sala de aula ou em qual seja o lugar que você queira implantá-la. Ela também pode ser usada para desenvolver habilidades, alterar comportamentos, estimular a inovação e aprimorar a vida das pessoas.

Confira 4 dicas para aplicação

1- Conheça bem as pessoas

Conhecer as pessoas que participa é importante, pois não é em qualquer grupo que a ideia de gamificação vai ser bem vista e aceita, pois ainda existem pessoas muito tradicionais que não aceitam essas novas tendências e acham que se deve continuar do jeito que está.

Logo, procure saber se eles estão dispostos a aceitar esse modelo antes de gastar dinheiro e tempo para criar um modelo de gamificação para sua empresa. Outro motivo para conhecê-los melhor antes, é para saber o que colocar nos “jogos” para motivá-los a continuar jogando e, assim, chegando ao grande objetivo da empresa.

 2- Engajar a nível emocional.

Como dito anteriormente as empresas sofrem com a falta de engajamento, por tanto,  deve se procurar agir da melhor forma possível para envolver os colaboradores. A forma mais indicada é a do engajamento emocional, pois dessa forma o colaborador se sente motivado a fazer mais do que se é esperado dele. Uma forma de motivá-los assim é apresentar à eles desafios práticos que os fazem se sentir desafiados dando a esperada motivação.

Também pode-se adicionar na experiência do “jogo” características e objetivos individuais dos colaboradores de modo que seja significativo para eles. Dessa maneira, você poderá alinhar os objetivos individuais com o da empresa e ao decorrer do jogo o colaborador se sentirá motivado e os objetivos da empresa serão alcançados. 

3- Tenha cuidado nas escolhas das recompensas.

Um erro que muitos cometem é pensar que gamificação é um programa de recompensas, que se deve dar incentivos monetários. Porém não é bem assim, a gamificação trabalha com incentivos mais emocionais, como já disse nos tópicos anteriores, pois ao dar os incentivos monetários você estaria trabalhando com incentivos transacionais.

Portanto, é algo que não envolve os colaboradores a querer se entregar a mais para a empresa, como os incentivos emocionais fazem. Insistimos, novamente, que você deve conhecer bem seus colaboradores, já que saberá quais gatilhos emocionais será mais assertivo ao motivá-lo a se comprometer com o trabalho.

4- Não pule para o final

Existem muitas pessoas que pensam que gamificação é algo rápido e fácil, que é apenas colocar pontos  e alguns distintivos e já conseguirão que os colaboradores façam o que eles desejam. O que está completamente errado, pois como dito anteriormente não tem como fazer uma boa gamificação sem entender verdadeiramente os jogadores, suas motivações e seus objetivos.

Não tem como conseguir essas informações sem gastar uma grande quantidade de tempo e esforço. O contrário seria apenas você tentando adivinhar as motivações e objetivos deles e fazendo assim toda a gamificação em cima delas, o que levaria a metodologia ao fracasso. 

Agora, veja também alguns exemplos

  • Domino’s

A famosa pizzaria Domino’s precisava que seus novos colaboradores estivessem sempre bem atualizados sobre o seu menu de pizzas. Então no intuito de resolver isso de uma vez por todas, eles  desenvolveram um minicurso de gamificação para ajudar seus novos colaboradores a aprenderem, de forma totalmente precisa e rápida.

A empresa utilizou os elementos de games como pontos, conquistas e níveis no seu treinamento e assim conseguiu fazer com que a “fase” de treinamento da empresa se tornasse em algo mais agradável e funcional.

  • Vivo

Um Call Center de qualidade é muito importante para qualquer operadora de telefone. Diante disso, a Vivo resolveu utilizar uma plataforma interativa baseada em storytelling para capacitar seus atendentes com mais eficiência. Nessa plataforma os colaboradores teriam que cria um avatar para interagir com outros colaboradores e outros quatro personagens fictícios que iriam auxiliá-los no processo de desenvolvimento de competências.

São mais de 8 mil usuários, com 95% deles bem ativos, com duas campanhas realizadas por ano até hoje. Graças a esse recurso, foi possível elevar a qualidade do atendimento e melhorar o desempenho geral da empresa.

Caso deseje melhorar a motivação e tornar seus colaboradores mais proativos, entre em contato conosco. A Pacto Consultoria pode te ajudar!