Cultura Organizacional: Como colocar em prática na sua empresa

August 29, 2019

 

Entendendo a cultura empresarial como uma aplicação de valor para o crescimento da organização

 

A cultura organizacional é uma ferramenta essencial para o sucesso e os resultados da empresa, um quesito que requer atenção do gestor e merece ser classificado com um alto grau de prioridade.

Entenda que, em algum momento da sua empresa ela irá impactar de alguma forma. 

 

Mas, o quê é?  E para que serve? 

 

Partimos da definição baseada no autor Idalberto Chiavenato, o qual afirma como sendo cultura organizacional o “conjunto de hábitos e crenças estabelecidas através de normas, valores, atitudes e expectativas compartilhadas por todos os membros da organização”. 

 

Percebeu por esta explicação, que as pessoas são os elementos fundamentais para compor a cultura de uma organização? Ao participar de forma ativa dentro da empresa, os colaboradores, gestores e stakeholders são capazes de influenciar o surgimento ou a sua modificação. São por meio dos valores que são definidos os princípios e as qualidades pelas pessoas. 

 

Em muitos casos a cultura surge através de ações que são compartilhadas. Ou seja, tudo que motiva determinadas pessoas a interagirem entre si, e tem capacidade de as identificarem: as crenças, os valores e os hábitos. Nesse ponto é interessante mencionar o papel da liderança dentro de uma organização que tem suma importância na cultura ao administrar ou exercer uma influência em uma quantidade de indivíduos com bagagens externas e um mar de sentimentos. 

 

É importante ressaltar que a cultura organizacional permite determinar e destacar a identidade de um grupo, facilitar a comunicação e ajudar na tomada de decisão. Não se pode negar o valor e o sentido que ela tem para qualquer organização.  

 

Trate a cultura como uma alavanca para seu negócio, se quiser se diferenciar da concorrência. Por ser algo composto por ativos intangíveis, não existem fisicamente, sendo bem mais difícil de copiar.

 

Por exemplo, um produto pode ser copiado, a patente expira e perde a exclusividade, possibilitando que outros a reproduzam e casas podem ser construídas iguais. Mas, a forma como as pessoas pensam e interagem no seu cotidiano depende de outros fatores. 


Cada empresa tem a sua própria cultura, e serve para se distinguir das demais.

 

Agora, pare e pense. Em que momento ela deve estar no seu radar?

 

Está com dificuldade de sinalizar?

 

Listamos 3 questões importantes, para você entender e orientar a cultura organizacional, com o intuito de superar os desafios e atingir os resultados esperados. 

 

1. É uma ferramenta capaz de definir fronteiras claras dentro da organização: normas e regulamentos delimitam o comportamento dentro do âmbito organizacional.

2. Modula a abordagem de novas situações: os colaboradores integrados nos procedimentos internos e cultural podem atribuir segurança em suas atividades. Imagine em uma situação de negociação, o profissional estará seguro ao argumentar com determinado cliente, por exemplo. 

3. Ajuda na integração em busca do mesmo objetivo: as pessoas tendem a procurar por organizações que se identificam e acreditam, como uma forma de garantir potencial sucesso.

 

De fato, a cultura organizacional traz à tona não só o que as pessoas acreditam, mas também como elas se enxergam em suas rotinas de trabalho, na vida familiar, em sociedade; além do impacto que são capazes de causar nesses ambientes. 

 

Sobre essa ótica, a cultura organizacional pode e deve sofrer modificações com o passar do tempo, com novos indivíduos oxigenando o mesmo o lugar, sempre com a intenção de melhorar. Todavia, jamais a organização pode perder sua identidade: a forma como se coloca no mercado, sua autonomia e a liberdade em suas unidades de negócios.

 

A seguir listamos 7 ações para posicionar na prática a cultura organizacional.

 

  1. Comunicação clara e objetiva ao tomar qualquer decisão que envolve os colaboradores, clientes e parceiros; 

  2. Treinar e capacitar as equipes operacionais e de liderança. É preciso planejar as atividades que serão desenvolvidas, e como se dará a sua execução. Para isso, o treinamento e a capacitação dos colaboradores não podem ser negligenciados. Essa etapa ajuda a direcionar e dar uma “cara” à organização. 

  3. Construir sistema de apoio para acompanhar as atividades, a fim de identificar se estão de acordo com o planejado.

  4. Implementar uma mudança de cada vez. Apesar do mundo dos negócios ser bastante dinâmico e volátil, não dá para fazer as mudanças ao mesmo tempo, deve-se priorizar e à medida que for avançando positivamente, pode atribuir novas alterações. Nesse caso, é valido um período de experimentação para verificar a aderência das pessoas.

  5. Criar um ambiente favorável e aderir ao feedback construtivo. Atualmente a busca dos profissionais não é só pelo bom salário, mas também que a empresa atenda as sua necessidades, que agregue ao seu desenvolvimento possibilidades de crescimento e qualidade de vida. Outra questão, difundido no ambiente empresarial, é a prática do feedback, no qual remete ao retorno ou resposta à determinada pessoa pela sua execução ou seu produto, entre outras atribuições. O ideal é que seja sempre positivo e construtivo, vale apontar algo inadequado, por exemplo, mas direcionar uma solução ou suporte para a resolução. 

  6. Ter um setor ou departamento de Recursos Humanos estratégico, com habilidades técnicas e comportamentais para somar com a cultura da empresa e disseminar aos demais colaboradores. A fim de que, os mesmos se reconheçam nos valores, objetivos e principalmente nos resultados. Deixar de ser um RH “fazedor” de tarefas e focar nas pessoas e nos processos, ser estratégico. A inclusão desse novo conceito no RH perpassa o suporte de ficar amparando, mas torna-se crucial para o crescimento e sucesso da organização. Na medida em que, será por meio do contingente humano que o planejamento estratégico da organização alcançará seu potencial.

  7. Documentar cada detalhe da cultura organizacional. Conheça profundamente e registre os valores que comandam as relações dentro da empresa.

 

Na prática efetivamente, a cultura tem um aparato de concepções, totalmente coerentes e complementares, que orientam a sua construção e fortalece a fundamentação do propósito de toda cultura empresarial. 

 

Não perca esses princípios de vista!

 

Missão, visão e valores. Ter definido esses elementos é essencial. Sobretudo, certa coerência entre o que foi formulado e a realidade. As ideias declaradas e as reais devem estar alinhadas, visto que favorece a implementação correta das mudanças.

 

Podemos definir a missão, como a razão de qualquer organização existir. Imaginemos uma empresa que não sabe o motivo da sua existência. Você acha que será capaz de definir uma estratégia de crescimento? E será que os seus colaboradores têm um propósito? 

 

Já a visão é uma em espécie de “utopia”, que direciona a empresa para os próximos anos. Deve ser colocada perspectiva em longo prazo como algo atingível. E os valores utilizados para atingir os objetivos, cumprir a missão e possivelmente realizar a visão. Geralmente, se apropriam de comportamentos e atitudes defendidos e usados pala empresa. 

 

Estratégias devem ser compatíveis com as ideias que governam a visão, a missão e os valores da organização. Mas, precisam ser revistas e atualizadas de acordo com as condições e prioridades que demandarem o momento organizacional. A estratégia define qual o espaço que a organização tem no mercado. Além disso, determina o que será feito e para quem é destinado.

 

Objetivos e Resultados, não devem ser focados somente no faturamento e na rentabilidade, pois estes são consequências de uma gestão eficiente. A atitude assertiva é quantificar por indicadores de eficácia e eficiência, uma vez que permitem focar em melhoria e resoluções de problemas que estabelecem os resultados.

 

Portanto, não tem uma receita pronta, quando nos referimos à cultura organizacional. Cada empresa ou empreendedor deve escolher a melhor forma de aplicar na sua estrutura de negócio. 

 

É preciso saber qual a essência da organização. O que as pessoas gostam de fazer nela? Saiba definir o impacto que quer causar nas pessoas.

 

Não abra mão de ter uma cultura organizacional forte. 

 

Fique atento nas questões que separamos!

 

#1. A cultura é aquilo que se constrói com a interação cotidiana. Não dá para simplesmente apontar que está escrito na regra e deve ser seguido impreterivelmente. 

#2. Se classificar que os traços da sua cultura organizacional não estão ajudando a atingir os objetivos. É preciso fazer a escolha do que vai ser observado para modificar. 

#3.  Analise o que tem hoje e o que gostaria de ter futuramente. A cultura é uma construção em desenvolvimento.

#4. O elemento primordial da cultura são as pessoas, com suas cargas internas e externas. Se os colaboradores são engajados com a cultura na Matriz da empresa, não que dizer que na Filial será da mesma forma, apesar de ser a mesma empresa.

 

Depois desse artigo, você já sabe o que é, como planejar e implantar a cultura organizacional da melhor forma. Caso queira mais informações, entre em contato conosco e agende uma reunião de diagnóstico sem custo nenhum!

 

Boa sorte e sucesso!

Please reload

Pacto Consultoria

Impactando o mercado com

soluções de excelência

  • Branco Facebook Ícone
  • Branca Ícone Instagram
Ponto Localizacao
Telefone
Carta

Niterói